Logo fato ou boato

Esclarecimentos sobre informações falsas

Você está aqui:Página Inicial / Últimas checagens / Empresa Smartmatic não tem acesso a programa das urnas; software é desenvolvido e gerido pela Justiça Eleitoral

COMPARTILHAR

Empresa Smartmatic não tem acesso a programa das urnas; software é desenvolvido e gerido pela Justiça Eleitoral

Rumor antigo voltou a ser compartilhado na internet durante as Eleições Gerais de 2022

Publicado em 04/10/2022 às 21:10, atualizado em 27/10/2022 às 16:59

    Um boato antigo que voltou a circular nas redes sociais durante as Eleições Gerais de 2022 pegou muita gente de surpresa ao anunciar que a Smartmatic teria o software das urnas eletrônicas. A nova versão do rumor afirma que a empresa estrangeira se aproveitaria do suposto acesso privilegiado para favorecer um dos candidatos à Presidência da República.

    Fato ou Boato?

    São falsas as mensagens que circularam nas redes sociais segundo as quais a empresa Smartmatic fornece urnas eletrônicas ou softwares utilizados em urnas no Brasil. Todo o projeto da urna eletrônica brasileira e do sistema eletrônico de votação foi concebido e é gerido inteiramente pela Justiça Eleitoral do país.

    As urnas brasileiras foram projetadas por servidores e técnicos a serviço da Justiça Eleitoral e são produzidas, sob a sua direta coordenação, por empresas selecionadas mediante licitações públicas e de ampla concorrência, o que garante ainda mais segurança e transparência ao processo eleitoral.

    O sistema eletrônico de votação do país utiliza meios próprios e criptografados de comunicação e transmissão de dados, não tendo nenhum contato com redes públicas, como a internet. Em mais de 20 anos de trajetória, o sistema foi reiteradamente testado e comprovadamente isento de quaisquer formas de manipulação, de fraude na totalização de votos ou de quebra do sigilo do voto.

    Em diversas oportunidades, o TSE reiterou que a empresa não forneceu nem fornece urnas eletrônicas para as eleições brasileiras, tampouco trabalhou na programação desses aparelhos. A empresa atuou apenas no treinamento de profissionais que prestaram suporte técnico e operacional para as urnas brasileiras.

    A Smartmatic celebrou contratos com o TSE em outras ocasiões somente para a prestação de serviços de conexão de dados e voz, e não para o desenvolvimento ou operação da urna eletrônica. Além disso, a empresa participou da licitação para a fabricação de urnas eletrônicas para 2020, mas perdeu para a empresa Positivo.

    Empresa Smartmatic não tem acesso a programa das urnas; software é desenvolvido e gerido pela Justiça Eleitoral

    Acesse as checagens e esclarecimentos abaixo