História da Estratégia do TRE-PI

O processo de construção e formulação do Plano Estratégico do TRE-PI teve início em junho de 2007, com a instituição de um Grupo de Trabalho representado por servidores das diversas Unidades do Tribunal. Esse Grupo realizou treinamentos e reuniões de sensibilização com gestores e servidores acerca da importância do planejamento estratégico como ferramenta de gestão para atuação institucional. Além dessas atividades, aplicou questionário visando identificar o diagnóstico do órgão, com ênfase em sete critérios de avaliação - liderança; estratégias e planos; processos; informação e conhecimento; pessoas e cidadãos; infraestrutura; e sociedade.

Para concepção do Plano Estratégico - documento formal que materializa o planejamento estratégico - foi utilizada a metodologia Balanced Scorecard (BSC), teorizada por David Norton e Robert Kaplan. Trata-se de uma metodologia de gestão que permite a tradução da missão e visão de futuro da organização em objetivos estratégicos que se interligam numa relação de causa e efeito, sendo representados por quatro perspectivas: sociedade; processos internos; aprendizado e crescimento/pessoas; e recursos. Para cada objetivo são traçados indicadores e metas, que cumprem o papel de propiciar o monitoramento do Plano Estratégico, em um contínuo e sistemático processo de acompanhamento do desempenho organizacional.

Nessa linha teórica de atuação, foi realizada, em junho/2008, Reunião Geral para elaboração do Plano Estratégico do Tribunal, cuja condução dos trabalhos esteve sob responsabilidade de consultoria externa. Participaram dessa Reunião, 55 (cinquenta e cinco) servidores e gestores, em que foram definidas e validadas as diretrizes estratégicas para o quinquênio 2009-2013, cuja aprovação ocorreu com a edição da Resolução TRE/PI nº 153/2008, na Sessão Plenária de 17 de dezembro de 2008.

Em março de 2009, o Conselho Nacional de Justiça instituiu a Estratégia do Poder Judiciário, com a publicação da Resolução CNJ n.º 70/2009, que determinou aos Tribunais a elaboração do Plano Estratégico alinhado à Estratégia Nacional. Seguindo as diretrizes traçadas pelo CNJ, o TRE/PI promoveu, em novembro de 2009, o alinhamento do Plano Estratégico do Tribunal à Estratégia do Poder Judiciário, por meio da realização de workshop com os gestores do órgão, sob coordenação de consultor técnico da Fundação Getúlio Vargas, contratado pelo CNJ para auxiliar os Tribunais durante o processo de alinhamento. Concluídos os trabalhos, a Estratégia do TRE/PI 2010 a 2014 foi aprovada pela Corte do Tribunal, em 14 de dezembro de 2009.

A etapa seguinte - 2010 a 2012 - foi marcada pelo acompanhamento dos indicadores estratégicos, como forma de aferir o alcance dos objetivos estabelecidos na Estratégia 2010-2014. Nessa linha de atuação, foram realizadas Reuniões de Avaliação da Estratégia – RAE, cujo fim precípuo resume-se na apresentação - aos gestores e servidores - dos resultados quanto ao desempenho do Tribunal, bem como elaboração e avaliação de planos de ação e projetos visando melhorar os índices de desempenho institucional, em um contínuo processo de comunicação, execução, aprendizagem e, consequente, reformulação da Estratégia.

Com a edição da Resolução TSE nº 23.371, publicada em 09/03/2012 e da Portaria TSE nº 620, de 05/12/2012, que dispõe sobre o Planejamento Estratégico e respectiva regulamentação no âmbito da Justiça Eleitoral, cada Regional recebeu a incumbência de realizar alinhamento às diretrizes estabelecidas nos mencionados documentos.

Nesse passo, o TRE/PI realizou reuniões por área estratégica (Judiciária, Gestão de Pessoas, Tecnologia da Informação, Administração, Orçamento e Finanças, Ouvidoria, Corregedoria e a unidade de Planejamento e Gestão Estratégica) para definir e alinhar indicadores, metas, objetivos, visão, missão e valores, bem como os principais projetos para alcance dos resultados. Consolidadas as conclusões de cada área, foi realizada Reunião do Comitê Gestor do Plano Estratégico (representado pelas áreas estratégicas, incluindo, ainda, Assessoria Jurídica da Presidência e Controle Interno e Auditoria). Nessa reunião foram validados os novos elementos direcionadores da atuação do Tribunal, com a definição da Estratégia TRE/PI 2013-2014, alinhada às diretrizes da Justiça Eleitoral.

Gestor Responsável: Assessoria de Planejamento, Estratégia e Gestão +