Perguntas frequentes

Urna eletrônica


Como é a urna eletrônica?
A urna eletrônica é um microcomputador de uso específico nas eleições, com as seguintes características: resistente, de pequenas dimensões, leve, com autonomia de energia e com recursos de segurança.
Dois terminais compõem a urna eletrônica: o terminal do mesário, em que o eleitor é identificado e autorizado a votar; e o terminal do eleitor, onde é registrado numericamente o voto.
Ela tem um teclado numérico, onde é registrado o voto, com mais três teclas coloridas:

  • BRANCO (cor branca): para votar em branco;
  • CORRIGE (cor laranja): para corrigir e recomeçar em caso de erro;
  • CONFIRMA (cor verde): para confirmar o voto.

Alguém tem como saber em qual candidato eu votei?
Não, apenas se você contar. A urna eletrônica é um meio seguro de votação. Ela é totalmente sigilosa e não deixa nenhum rastro que possa ligar o voto ao eleitor. Nem mesmo os juízes ou técnicos da Justiça Eleitoral têm como saber em quem os eleitores votaram. A urna eletrônica somente grava a indicação de que o eleitor já votou; não há nenhuma possibilidade de se verificar em quais candidatos um eleitor votou.
Não acredite se algum candidato ou cabo eleitoral lhe disser que tem como saber em quem você votou. Isso é apenas uma forma de intimidação. O direito ao sigilo do voto é uma importante conquista – garantida até pela Constituição – e permite que você exerça sua cidadania votando, exclusivamente, com base na sua consciência.


A votação por meio das urnas eletrônicas é segura?
Sim. Todas as informações carregadas na urna são identificadas pelas respectivas assinaturas digitais, garantindo a integridade e a inviolabilidade. O conjunto formado por todas as informações geradas pelas urnas recebe também uma assinatura digital para assegurar a integridade desse conjunto. Há o registro de todas as ocorrências na urna (físico e lógico). Após o encerramento da carga, a urna recebe o lacre físico como medida protetora contra violação.
A urna assim preparada só realiza todas as operações no dia e na hora predeterminados. Caso seja ligada antes do dia da eleição, é apresentada uma tela, em que é solicitado que se aguarde o dia e a hora do início da eleição.


É possível que hackers mudem o resultado das eleições?
As urnas eletrônicas estão absolutamente seguras contra hackers, uma vez que não são conectadas em linha telefônica nem em rede de computadores. Durante a transmissão dos boletins de urna, os microcomputadores de transmissão são de propriedade exclusiva da Justiça Eleitoral, e somente o juiz tem a senha de acesso. Acessos externos à rede da Justiça Eleitoral são barrados por meio de firewall.
Todas as informações contidas na urna e utilizadas nas eleições estão assinadas para garantir a integridade e a inviolabilidade. Outra garantia de que os resultados não podem ser alterados é a contagem dos votos feita pelos próprios partidos a partir da soma dos boletins emitidos por cada urna eletrônica.


O que é identificação biométrica?
A biometria é uma tecnologia que permite identificar uma pessoa por suas características biológicas únicas, ou seja, por elementos corporais que tenham diferenças particulares, como a íris, a retina, a impressão digital, a voz, o formato do rosto e o formato das mãos.
A Justiça Eleitoral passou a utilizar essa tecnologia para identificar os eleitores por meio da impressão digital na hora da votação. A urna eletrônica com leitor biométrico garante ainda mais segurança no dia da eleição. O objetivo é excluir a possibilidade de uma pessoa votar por outra. O processo de identificação deve reconhecer as impressões digitais e confirmar a identidade de cada eleitor, comparando o dado fornecido com todo o banco de dados disponível.


Gestor Responsável: Coordenadoria de Sistemas Eleitorais +