Não seja pego
de surpresa

Confira os serviços da JE disponíveis aos eleitores e fique atento aos prazos finais

Atenção! A partir de 14 de julho, terça-feira

  • habilitação para voto em estabelecimentos prisionais e unidades de internação de adolescentes;
  • transferência temporária de eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida;
  • transferência temporária de membros das Forças Armadas, as polícias federal, rodoviária federal, ferroviária federal, civis e militares, os corpos de bombeiros militares, os agentes de trânsito e as guardas municipais que estiverem em serviço no dia da eleição;
  • transferência temporária de juízes eleitores, servidores da Justiça Eleitoral e promotores eleitorais designados para trabalhar no dia da eleição, para que possam votar em outra seção ou local de votação de seu município.

Atenção! A partir de 14 de julho, terça-feira

  1. Na seção para a qual foi convocado para atuar, o mesário que seja eleitor de outra seção do mesmo município;
  2. Em seção do mesmo local em que foi convocado para atuar no dia da eleição, o nomeado para apoio logístico que seja eleitor de outro local do mesmo município; e
  3. Na seção instalada em estabelecimentos prisionais e unidades de internação de adolescentes, os mesários, os agentes penitenciários e os demais servidores dos referidos estabelecimentos, desde que eleitores do mesmo município onde está instalada a mesa receptora de votos.

Atenção! 10 dias antes.

Não é possível solicitar qualquer modificação de informações na segunda via do título.

Este serviço será reabilitado para internet e cartórios eleitorais no dia 12 de outubro.

Esse serviço será reabilitado para internet e cartórios eleitorais no dia 3 de novembro.

Observação: 60 dias após o primeiro turno.

Último dia para o eleitor que deixou de votar no primeiro turno das eleições apresentar, em qualquer cartório eleitoral, justificativa fundamentada ao juízo eleitoral.

Observação: 60 dias após o segundo turno.

Último dia para o eleitor que deixou de votar no segundo turno das eleições apresentar, em qualquer cartório eleitoral, justificativa fundamentada ao juízo eleitoral.



Expirado

Tirar o título

  1. Pesquise o cartório eleitoral correspondente ao endereço de sua residência. Se tiver dúvida, acesse o site do TRE do seu estado para encontrar mais informações sobre as zonas eleitorais.
  2. Se for possível fazer o agendamento de seu atendimento pelo site do TRE do seu estado, não perca tempo! Os agendamentos têm atendimento preferencial e costumam ser mais ágeis.
  3. Vá até o cartório eleitoral levando consigo:
    • um comprovante de residência recente (sempre que possível, em nome do eleitor ou de um de seus pais, emitido há menos de 3 meses);
    • um documento oficial de identificação pessoal contendo, no mínimo, os seguintes dados: nome, filiação, data e local de nascimento e nacionalidade;
    • comprovante de quitação militar, quando do sexo masculino (obrigatório a partir de 30 de junho do ano em que completar 18 anos e até 31 de dezembro do ano em que completar 45 anos).

Dica importante: confira sempre seus dados antes de receber qualquer documento!

Todos os cidadãos com mais de 16 anos e aqueles que fizerem 16 anos antes do dia 5/10/2020.

Quem tiver o título e ainda não tiver 18 anos até o dia 4/10/2020 não é obrigado a votar. Para essas pessoas, votar é apenas um direito, não um dever.

Aqueles que tiverem pelo menos 70 anos a partir do dia 4/10/2020, também podem escolher se querem ou não votar.

Mas, atenção! Se você já tiver título e já tiver 18 anos no dia da eleição (4/10/2020), você é obrigado a votar!



Todos os brasileiros com 18 anos, a partir da data de seu 18º aniversário.

Se você completa 18 anos entre 7/5/2020 e o início de novembro de 2020, na reabertura do cadastro eleitoral, , deve tirar seu título, assim que possível, para evitar as consequências do chamado alistamento tardio. Então, não perca o prazo final para o alistamento antes do fechamento do cadastro, que, neste ano, é em 6 de maio!

A consequência do alistamento tardio será a impossibilidade de participar da escolha de seus representantes. Além disso, o eleitor poderá encontrar dificuldade na emissão de outros documentos, como passaporte e CPF, e terá impedimentos para se matricular em instituições de ensino, entre outros problemas.

Se o eleitor já tem mais de 19 anos, continua obrigado a tirar o título de eleitor e a votar, estando sujeito às consequências do alistamento tardio, como:

  • impossibilidade de participar da escolha de seus representantes;
  • dificuldades para emissão de documentos(passaporte e CPF);
  • impedimentos para se matricular em instituições de ensino, entre outros problemas.

Estará também sujeito à multa eleitoral por alistamento tardio a menos que tenha feito 19 anos a partir do dia 7 de outubro de 2018 e tenha emitido o título de eleitor até 6/5/2020. Não perca mais tempo!

Regularizar o título

Se você não votou, não justificou e nem pagou as multas correspondentes por 3 (três) eleições seguidas (cada turno é considerado uma eleição), seu título está cancelado. Seu prazo para regularizar sua situação é até 6 de maio.



Como faço para regularizar?

  1. Consulte seus débitos no site do TSE ou em qualquer cartório eleitoral. Em caso de dúvida quanto aos débitos, leve até o cartório todos comprovantes de votação que você tiver, para facilitar o esclarecimento da situação;
  2. Solicite a emissão de boleto (GRU) e pague-o;
  3. Se for possível fazer o agendamento de seu atendimento pelo site do TRE do seu estado, não perca tempo! Os agendados têm atendimento preferencial e precisam de menos tempo para ser atendidos.
  4. Vá até o cartório eleitoral correspondente ao endereço de sua residência. Se precisar de ajuda para identificar seu cartório, pesquise no site do TSE. Se ainda tiver dúvida, acesse o site do TRE do seu estado e você encontrará mais informações sobre as zonas eleitorais. Você fará a revisão ou transferência de seu título, conforme o caso. Será necessário levar ao cartório:
    • um comprovante de residência recente (sempre que possível, em nome do eleitor, emitido há menos de 3 meses);
    • um documento oficial de identificação pessoal contendo, no mínimo, os seguintes dados: nome, filiação, data e local de nascimento e nacionalidade;
    • comprovante de pagamento de sua(s) multa(s) eleitoral(ais) (GRU) ou todos comprovantes de votação que você tiver, em caso de dúvida relacionada a débitos eleitorais, para facilitar o esclarecimento da situação;
    • seu título, se possível.

Atenção! Após o pagamento da multa, é obrigatória a apresentação do comprovante de pagamento em um cartório eleitoral qualquer. Apenas o pagamento no banco não é suficiente para regularizar sua situação.

Uma dica: confira sempre seus dados antes de receber qualquer documento!

Atenção! Se você tiver mudado de endereço, possivelmente, será preciso fazer uma transferência eleitoral ou alteração do local de votação.

Observe as orientações relacionadas à “Transferência eleitoral e alteração do local de votação”.

*Se você não votou em uma ou mais eleições, não justificou sua ausência às urnas e nem pagou a multa correspondente, mas isto não aconteceu em 3 eleições seguidas, seu título não estará cancelado por esse motivo (em caso de dúvida, consulte sua situação eleitoral). Mas, mesmo assim, você precisa regularizar sua pendência o quanto antes para estar em dia com a Justiça Eleitoral.

Não há prazo para essa operação! Ela pode ser feita a qualquer tempo nos cartórios eleitorais.



Como fazer isto:

  1. Consulte seus débitos no site do TSE ou vá até qualquer cartório eleitoral. Em caso de dúvida quanto aos débitos, leve até o cartório todos comprovantes de votação que você tiver, para facilitar o esclarecimento da situação.
  2. Solicite a emissão de boleto (GRU) e pague-o;
  3. Após o pagamento, apresente o comprovante em qualquer cartório eleitoral e solicite sua certidão de quitação eleitoral. Se precisar de ajuda para identificar o cartório eleitoral mais conveniente pra você, pesquise no site do TSE. Se ainda tiver dúvida, acesse o site do TRE do seu estado para encontrar mais informações sobre as zonas eleitorais.

Atenção! Após o pagamento da multa é obrigatória a apresentação do comprovante de pagamento em um cartório eleitoral qualquer. Apenas o pagamento no banco não é suficiente para regularizar sua situação. A baixa do débito não é automática!

Se você já consultou sua situação eleitoral e confirmou que seu título está cancelado, é possível que o motivo do cancelamento seja porque você não compareceu a uma revisão obrigatória de eleitorado. Nos últimos anos, o Brasil inteiro tem passado pelo cadastramento biométrico dos eleitores. Todavia ainda há outros motivos para cancelamento do título.Você precisará resolver essa situação até o dia 6 de maio! Assim, você poderá votar nas Eleições de 2020, evitar dificuldades na emissão de outros documentos, como passaporte e CPF, na matrícula em instituições de ensino, entre outros problemas.

No seu cartório eleitoral, será feita a transferência ou a revisão de seu título, conforme o caso.

  1. Pesquise o cartório eleitoral correspondente à sua residência. Se tiver dúvida, acesse o site do TRE do seu estado e você encontrará mais informações sobre as zonas eleitorais.
  2. Se for possível fazer o agendamento de seu atendimento pelo site do TRE do seu estado, não perca tempo! Os agendados têm atendimento preferencial e precisam de menos tempo para ser atendidos.
  3. Para não perder tempo, vale a pena ter certeza de que você realmente não tem débitos com a Justiça Eleitoral antes de ir ao cartório. Você pode consultar seus débitos no site do TSE. Se houver débitos, solicite a emissão de boleto (GRU) e pague-o. Após o pagamento, será necessário apresentar o comprovante em qualquer cartório eleitoral. Em caso de dúvida quanto aos débitos, leve até o cartório todos comprovantes de votação que você tiver, para facilitar o esclarecimento da situação.
  4. Compareça ao cartório eleitoral portando:
    • um comprovante de residência recente (sempre que possível, em nome do eleitor, emitido há menos de 3 meses – no caso de revisão – e há pelo menos 3 meses – no caso de mudança de município);
    • um documento oficial de identificação pessoal contendo, no mínimo, os seguintes dados: nome, filiação, data e local de nascimento e nacionalidade;
    • seu título, se possível;se você identificou débitos eleitorais, leve o comprovante de pagamento de sua(s) multa(s) eleitoral(ais) (GRU) ou todos comprovantes de votação que você tiver, em caso de dúvida relacionada a débitos eleitorais, para facilitar o esclarecimento da situação.

Uma dica: confira sempre seus dados antes de receber qualquer documento!

Atenção! Se você tiver mudado de endereço, possivelmente, será preciso fazer uma transferência eleitoral ou alteração do local de votação. Assim, é interessante você observar as orientações relacionadas à “Transferência eleitoral e alteração do local de votação”.

Alterar/corrigir dados

  1. Vá até o seu cartório eleitoral e solicite a correção de seus dados. Nesta ocasião, será feita a operação de revisão ou a de transferência de seu título, conforme o caso. Se precisar de ajuda para identificar o endereço do cartório eleitoral correspondente à sua residência, pesquise no site do TSE. Se ainda tiver dúvida, acesse o site do TRE do seu estado e você encontrará mais informações sobre as zonas eleitorais.
  2. Para não perder tempo, vale a pena ter certeza de que você não tem débitos com a Justiça Eleitoral antes de ir até o cartório! Você pode consultar seus débitos no site do TSE. Se houver débitos, solicite a emissão de boleto (GRU) e pague-o. Em caso de dúvida quanto aos débitos, leve ao cartório todos comprovantes de votação que você tiver, para facilitar o esclarecimento da situação.
  3. Se for possível fazer o agendamento de seu atendimento pelo site do TRE do seu estado, não perca tempo! Os agendados têm atendimento preferencial e precisam de menos tempo para ser atendidos.
  4. Não deixe de levar ao cartório:
    • um comprovante de residência recente (sempre que possível, em nome do eleitor, emitido há menos de 3 meses – no caso de revisão – e há pelo menos 3 meses – no caso de mudança de município);
    • um documento oficial de identificação pessoal contendo, no mínimo, os seguintes dados: nome, filiação, data e local de nascimento e nacionalidade. Confira antes se seus dados estão corretos no documento que for apresentar;seu título, se possível;
    • se você identificou débitos eleitorais, leve o comprovante de pagamento de sua(s) multa(s) eleitoral(ais) (GRU) ou todos comprovantes de votação que você tiver, em caso de dúvida relacionada a débitos eleitorais, para facilitar o esclarecimento da situação.

Uma dica: confira sempre seus dados antes de receber qualquer documento!

Atenção! Se você tiver mudado de endereço, possivelmente, será preciso fazer uma transferência eleitoral ou alteração do local de votação. Neste caso, além de alertar o (a) atendente para a necessidade de correção de seus dados, você precisará observar as orientações relacionadas à “Transferência eleitoral e alteração do local de votação”.

  1. Vá até o seu cartório eleitoral e solicite a alteração de seus dados. Nesta ocasião, será feita a operação de revisão ou a de transferência de seu título, conforme o caso. Se precisar de ajuda para identificar o endereço do cartório eleitoral correspondente à sua residência, pesquise no site do TSE. Se ainda tiver dúvida, acesse o site do TRE do seu estado e você encontrará mais informações sobre as zonas eleitorais.
  2. Para não perder tempo, vale a pena ter certeza de que você não tem débitos com a Justiça Eleitoral antes de ir até o cartório. Você pode consultar seus débitos no site do TSE. Se houver débitos, solicite a emissão de boleto (GRU) e pague-o. Em caso de dúvida quanto aos débitos, leve ao cartório todos comprovantes de votação que você tiver, para facilitar o esclarecimento da situação.
  3. Se for possível fazer o agendamento de seu atendimento pelo site do TRE do seu estado, não perca tempo! Os agendados têm atendimento preferencial e precisam de menos tempo para ser atendidos.
  4. Não deixe de levar ao cartório:
    • um comprovante de residência recente (sempre que possível, em nome do eleitor, emitido há menos de 3 meses – no caso de revisão – e há pelo menos 3 meses – no caso de mudança de município);
    • um documento oficial de identificação pessoal contendo, no mínimo, os seguintes dados: nome, filiação, data e local de nascimento e nacionalidade. Confira antes se seus dados estão corretos no documento que for apresentar. A alteração de seu cadastro será feita com base no documento apresentado;
    • seu título, se possível;
    • se você identificou débitos eleitorais, leve o comprovante de pagamento de sua(s) multa(s) eleitoral(ais) (GRU) ou todos comprovantes de votação que você tiver, em caso de dúvida relacionada a débitos eleitorais, para facilitar o esclarecimento da situação.

Uma dica: confira sempre seus dados antes de receber qualquer documento!

Atenção! Se você tiver se mudado de endereço, possivelmente, será preciso fazer uma transferência eleitoral ou alteração do local de votação. Neste caso, além de alertar o(a) atendente para a necessidade de alteração de seus dados, você precisará observar as orientações relacionadas à “Transferência eleitoral e alteração do local de votação”.

Incluir nome social

Já é possível ter somente seu nome social impresso no título eleitoral. Basta ir até o seu cartório eleitoral e solicitar a inclusão do nome social pelo qual você se identifica. A partir daí, seus dados de registro civil permanecerão inalterados em seu cadastro eleitoral para a Justiça Eleitoral, mas em seu título de eleitor constará apenas seu nome social acompanhado de seu sobrenome, não mais seu nome de registro.

Mudar local de votação

Se você mudou há mais de 3 meses para um novo município e pretende permanecer nele, você deve fazer sua transferência, para que possa participar da vida política da comunidade e evitar consequências pela não participação no município anterior (como, por exemplo, deixar de participar de eleições suplementares naquele município ou do cadastramento biométrico). Seu prazo é até dia 6 de maio!

  1. Vá até o cartório eleitoral que corresponde ao seu novo endereço e solicite a sua transferência. Se precisar de ajuda para identificar o endereço do seu novo cartório eleitoral, pesquise no site do TSE. Se ainda tiver dúvida, acesse o site do TRE do seu estado e você encontrará mais informações sobre as zonas eleitorais.
  2. Para não perder tempo, vale a pena ter certeza de que você não tem débitos com a Justiça Eleitoral antes de ir até o cartório. Você pode consultar seus débitos no site do TSE. Se houver débitos, solicite a emissão de boleto (GRU) e pague-o. Em caso de dúvida quanto aos débitos, leve ao cartório todos comprovantes de votação que você tiver para facilitar o esclarecimento da situação.
  3. Se for possível fazer o agendamento de seu atendimento pelo site do TRE do seu estado, não perca tempo! Os agendados têm atendimento preferencial e precisam de menos tempo para ser atendidos.
  4. Não deixe de levar ao cartório:
    • um comprovante de residência recente (sempre que possível, em nome do eleitor, emitido há pelo menos 3 meses – no caso de mudança de município);
    • um documento oficial de identificação pessoal contendo, no mínimo, os seguintes dados: nome, filiação, data e local de nascimento e nacionalidade. Confira antes se seus dados estão corretos no documento que for apresentar. A alteração de seu cadastro será feita com base no documento apresentado;
    • seu título, se possível;
    • se você identificou débitos eleitorais, leve o comprovante de pagamento de sua(s) multa(s) eleitoral(ais) (GRU) ou todos comprovantes de votação que você tiver, em caso de dúvida relacionada a débitos eleitorais, para facilitar o esclarecimento da situação.

Uma dica: confira sempre seus dados antes de receber qualquer documento!

Atenção! Não é possível fazer a transferência se ainda não passou um ano da sua última transferência ou da data em que se alistou (tirou a primeira via do título). Se você está nessa situação e não pode se deslocar até o município em que morava para votar nesta eleição, você deverá justificar sua ausência às urnas no dia da eleição no município onde estiver ou em até 60 dias. Veja como!

Obs.: As exigências de mais de 3 meses no domicílio eleitoral e pelo menos um ano desde a última transferência ou alistamento não se aplicam aos servidores públicos civis, militares, autárquicos ou membros de suas famílias que tenham se mudado por motivo de remoção ou transferência (Resolução TSE n. 21.5382003, art. 18, § 1˚).

Para a Justiça Eleitoral, o ideal é facilitar seu acesso às urnas tanto quanto possível. Se há a possibilidade de oferecer a você um local de votação mais próximo de sua residência, vamos lá! Você tem até o dia 6 de maio para solicitar a mudança em seu cartório eleitoral. Seu pedido será atendido conforme a disponibilidade de vagas em seções eleitorais na região. No entanto, essa solicitação não tem prazo para ser feita. Se não houver um local de votação mais interessante para você disponível agora, você pode tentar novamente depois da reabertura do cadastro para as eleições seguintes.

  1. Vá até o cartório eleitoral correspondente ao seu novo endereço e solicite a alteração de seu local de votação. Nesta ocasião, será feita a operação de revisão de seu título. Se precisar de ajuda para identificar o endereço de seu cartório eleitoral, pesquise no site do TSE. Se ainda tiver dúvida, acesse o site do TRE do seu estado e você encontrará mais informações sobre as zonas eleitorais.
  2. Para não perder tempo, vale a pena ter certeza de que você não tem débitos com a Justiça Eleitoral antes de ir até o cartório. Você pode consultar seus débitos no site do TSE. Se houver débitos, solicite a emissão de boleto (GRU) e pague-o. Em caso de dúvida quanto aos débitos, leve ao cartório todos comprovantes de votação que você tiver, para facilitar o esclarecimento da situação.
  3. Se for possível fazer o agendamento de seu atendimento pelo site do TRE do seu estado, não perca tempo! Os agendados têm atendimento preferencial e precisam de menos tempo para ser atendidos.
  4. Não deixe de levar ao cartório:
    • um comprovante de residência recente (sempre que possível, em nome do eleitor, emitido há menos de 3 meses);
    • um documento oficial de identificação pessoal contendo, no mínimo, os seguintes dados: nome, filiação, data e local de nascimento e nacionalidade. Confira antes se seus dados estão corretos no documento que for apresentar;
    • seu título, se possível;
    • se você identificou débitos eleitorais, leve o comprovante de pagamento de sua(s) multa(s) eleitoral(ais) (GRU) ou todos comprovantes de votação que você tiver, em caso de dúvida relacionada a débitos eleitorais, para facilitar o esclarecimento da situação.

Uma dica: confira sempre seus dados antes de receber qualquer documento!

A Justiça Eleitoral se empenha na criação de seções acessíveis em todos os locais de votação. O atendente do cartório tomará as medidas necessárias para que sua necessidade seja atendida da melhor maneira possível. Se você ainda desejar uma solução mais adequada para as eleições seguintes, saiba que essa solicitação não tem prazo para ser feita. Se não houver um local de votação mais adequado disponível agora, você pode tentar novamente a qualquer tempo depois da reabertura do cadastro.

  1. Vá até o cartório eleitoral correspondente ao seu endereço e solicite a alteração de sua seção eleitoral para uma mais acessível para você. Se precisar de ajuda para identificar o endereço de seu cartório eleitoral, pesquise no site do TSE. Se ainda tiver dúvida, acesse o site do TRE do seu estado e você encontrará mais informações sobre as zonas eleitorais.
  2. Para não perder tempo, vale a pena ter certeza de que você não tem débitos com a Justiça Eleitoral antes de ir até o cartório. Você pode consultar seus débitos no site do TSE. Se houver débitos, solicite a emissão de boleto (GRU) e pague-o. Em caso de dúvida quanto aos débitos, leve ao cartório todos comprovantes de votação que você tiver para facilitar o esclarecimento da situação.
  3. Se for possível fazer o agendamento de seu atendimento pelo site do TRE do seu estado, não perca tempo! Os agendados têm atendimento preferencial e precisam de menos tempo para ser atendidos.
  4. Não deixe de levar ao cartório:
    • um comprovante de residência recente (sempre que possível, em nome do eleitor, emitido há menos de 3 meses);
    • um documento oficial de identificação pessoal contendo, no mínimo, os seguintes dados: nome, filiação, data e local de nascimento e nacionalidade. Confira antes se seus dados estão corretos no documento que for apresentar;
    • seu título, se possível;
    • se você identificou débitos eleitorais, leve o comprovante de pagamento de sua(s) multa(s) eleitoral(ais) (GRU) ou todos comprovantes de votação que você tiver, em caso de dúvida relacionada a débitos eleitorais, para facilitar o esclarecimento da situação.

Uma dica: confira sempre seus dados antes de receber qualquer documento!